Última hora

Última hora

Oposição russa conta espingardas

Em leitura:

Oposição russa conta espingardas

Tamanho do texto Aa Aa

Um dia depois das eleições presidenciais russas, a oposição já está em actividade e analisa os resultados, tentando descobrir janelas de oportunidade, para um combate mais igual, contra Putin.

A grande esperança reside agora em Mikhail Prokhorov, o milionário de 46 anos, independente, dono da equipa de basquetebol, dos Nets, de New Jersey, da NBA.

Ele já reagiu. Concorreu como independente, mas reconhece que, para continuar a luta, precisa de um partido político. E a colaboração com Putin, está fora de causa.

“Quando o Governo é de facto subsidiário do Kremlin, eu não estou interessado em trabalhar com o Governo. Tenho diferentes pontos de vista – é necessário criar um novo partido político”.

Os resultados são esmagadoramente favoráveis a Vladimir Putin. Mas muita gente continua a duvidar destes números.

É o caso da analista política, Maria Lipman:

“Os resultados de Prokhorov, em Moscovo, em quase todas as assembleias de voto, colocavam-no em segundo lugar, não em terceiro, e com percentagens muitos elevadas. Em algumas assembleias, ficou muito próximo de Vladimir Putin. Havia assembleias, onde a diferença entre elas era somente de alguns pontos percentuais, por exemplo 37 – 32, 37 – 33. Por isso, os setores mais progressistas, que querem a modernização, podem apoiar, Prokhorov, apesar de, do ponto de vista destas pessoas, ele representar, como se diz em russo, um projeto de Kremlin”.

O candidato comunista Gennady Zyuganov também contesta os resultados. Por isso, recusou felicitações a Putin:

“Penso que não devo felicitar a equipa de Putin nem ele próprio, porque o país, com este tipo de eleições, perdeu, todos perderam, porque os resultados forçados e a união forçada não trazem nada para os cidadãos da Rússia, exceto a humilhação e a amargura”.