Última hora

Última hora

Espetro de Fukushima paira sobre o quotidiano dos japoneses

Em leitura:

Espetro de Fukushima paira sobre o quotidiano dos japoneses

Tamanho do texto Aa Aa

Quase um ano depois, e apesar de tudo parecer normal, o espetro de Fukushima continua a pairar nos espíritos dos japoneses.

Os pescadores de Fukushima sonham com o regresso à normalidade. Após o maior acidente nuclear desde Chernobyl, os elevados níveis de radiação impediram a venda das capturas da região.

“Estamos com o moral em baixo e o que queremos é retomar a pesca o mais rapidamente possível. Receamos mais as preocupações dos consumidores sobre a segurança do pescado do que as próprias radiações. Participamos nas operações de controlo e esperamos que, um dia, os consumidores voltem a comer o delicioso peixe local”, explica um pescador local.

Em Fukushima, o Centro de Investigação das Pescas está a investigar agora os primeiros peixes nascidos após o acidente nuclear.

Mas não são só os pescadores que continuam a sofrer as consequências do terramoto e do acidente nuclear.

As crianças de Fukushima continuam impedidas de praticar atividades ao ar livre. Os pais receiam os riscos radioativos.

Um grande parque de jogos interior foi criado pela Cruz Vermelha. Um parque provisório, que entretanto fechou as portas. A população espera agora que a autarquia crie um novo espaço interior permanente para que os mais pequenos possam continuar a dispensar energias.