Última hora

Última hora

Incumprimento grego pode custar mais de um bilião de euros

Em leitura:

Incumprimento grego pode custar mais de um bilião de euros

Incumprimento grego pode custar mais de um bilião de euros
Tamanho do texto Aa Aa

Mais de um bilião de euros é quanto poderá custar um incumprimento grego descontrolado. A estimativa do Fundo Internacional de Finança faz aumentar a pressão numa semana crucial para a Grécia.

Os credores privados têm até quinta-feira para decidir se participam ou não na troca de obrigações. Atenas procura o perdão de 107 mil milhões de euros de dívida e ameaça impor perdas automáticas se os privados não participarem de forma voluntária.

Os bancos e seguradoras gregas detêm 75 mil milhões de euros das obrigações helénicas. Seguem-se bancos, instituições e seguradoras europeias com 55 mil milhões. Quase outro tanto está nas mãos de fundos de investimento e de pequenos investidores.

Sem o plano de reestruturação, Atenas entra em incumprimento no dia 20 e o Fundo Internacional de Finança, num relatório de fevereiro, traça então um cenário catastrófico.

O Banco Central Europeu (BCE) será o primeiro atingido, pois detém mais de 170 mil milhões de euros de obrigações gregas. Portugal ficaria mais exposto, Espanha e Itália teriam de ser resgatadas, as consequências iriam estender-se à toda a zona euro, haveria queda do crescimento e os governos teriam de socorrer novamente os bancos.