Última hora

Última hora

Síria sob pressão interna e externa

Em leitura:

Síria sob pressão interna e externa

Tamanho do texto Aa Aa

Sem medo da repressão, milhares de manifestantes saíram à rua, na Síria. De Oms a Deera, passando por Idlib, os sírios exigem a demissão de Bachar Al-Assad.

Num país onde os jornalistas não são bem-vindos, as imagens que se veem nas televisões internacionais foram publicadas nas redes sociais – mas mostram bem um aumento da pressão, por parte do povo.

Pressão que aumenta, também, a nível diplomático. O presidente turco, Abdullah Gul, foi claro: “Os problemas nacionais não podem ficar confinados a nível interno quando já ultrapassaram os limites do razoável e começam a tornar-se um problema para a comunidade internacional, para toda a humanidade. Infelizmente, é o que está a acontecer na Síria. A cada dia que passa, mais pessoas morrem. Não temos nenhuma confiança na administração síria.”

Pressão também por parte da ONU. Valérie Amos conseguiu, esta quarta-feira, ser recebida pelo ministro sírio dos Negócios Estrangeiros.

A responsável das Operações humanitárias da ONU, que viu ser!lhe recusada uma primeira visita, a semana passada, tenciona fazer um ponto da situação no país.

Estima-se que 10 mil pessoas tenham já morrido, neste conflito. O governo sírio continua a impedir o acesso da ajuda médico-humanitária.