Última hora

Última hora

Abkasia na mira de Tbilissi e Moscovo

Em leitura:

Abkasia na mira de Tbilissi e Moscovo

Tamanho do texto Aa Aa

Em Setembro de 2011, em Sujumi, a capital de Abkasia.
Alexander Ankvab tomou posse depois da vitória nas presidenciais antecipadas, em virtude da morte de seu predecessor. Mas nenhum país reconhecer-lhe-á como presidente excepto Rússia, Venezuela, Nicarágua e certas ilhas do Pacífico.

A comunidade internacional em geral considera que Abkasia é uma região de Georgia que foi integrada em 1931 por Stalin.

Depois da independência, a Georgia enviou tropas para a Abkasia para evitar uma secessão. Em 1993, foram expulsas depois de uma guerra sangrenta. A maioria dos georgianos partiram.

Naquela altura, só uma quinta parte do meio milhão de habitantes da região eram originariamente da Abkasia.

Até 1999 a Abkasia não autoproclamou formalmente a independência. Vive sob embargo internacional. A economia é completamente dependente de Rússia, o rublo é a moeda em curso, e para viajar, a população de 250 mil pessoas, tem de utilizar passaportes russos.

Em agosto de 2008, a Georgia tentou recuperar pela força outra região separatista e pró russa: a Ossétia do Sul, desencadeando uma guerra com Moscovo.

A Abkasia tirou partido do conflito, conseguindo o controlo militar das Gargantas de Kodori, um pequeno território fronteiriço com a Georgia. O vale entra profundamente na Abkasia e é uma via natural para uma invasão da região.

Em setembro de 2008, a Rússia começou a retirar as tropas de uma parte do território da Georgia, ocupada durante os cinco dias da sangrenta guerra em agosto, mas mantiveram soldados.

Posteriormente, a Rússia reconheceu a independência da Abkasia e comprometeu-se formalmente a proteger as fronteiras com Georgia.