Última hora

Última hora

As agências de notação à lupa

Em leitura:

As agências de notação à lupa

Tamanho do texto Aa Aa

Arnaud, de Bruxelas: “- A minha pergunta aos responsáveis europeus é até que ponto vamos deixar que as imposições das agências de notação dirijam as bolsas europeias e se vamos, em dado momento opôrmo-nos a esses lobbies especulativos.”

Thierry Philipponnat, Secretário-geral da Finance Watch:

“- É uma boa pergunta, não podemos deixar que essa situação se prolongue, e para o evitar, há uma solução muito simples. Essa solução é permitir que os investidores sigam as opiniões das agências de notação sem que isso constitua uma obrigação. Actualmente estamos num sistema absurdo, em que os investidores são obrigados a vergar-se às opiniões das agências de notação. Por quê? Porque as qualificações estão na regulamentação financeira. Portanto, há que suprimir toda a referência às notações na regulamentação para que os investidores possam seguir as opiniões das agências de rating, se quiserem. É bom que tenham essa liberdade mas não a obrigação. Isso é que é importante.

Questão de Sébastien, de Bruxelas:

“- Quais são as diretivas adotadas pela Europa sobre o financiamento das agências de notação?”

Responde, de novo,Thierry Philipponnat:

“- A alternativa ao emissor de obrigações- ao que empresta – que paga a agência de notação, será ser o investidor a pagar a agência de notação. O conflito de interesses potencial não será o mesmo, mas pode haver conflito do mesmo modo. A questão essencial é garantir que o sistema não dependa da opinião de uma só entidade. A chave para um sistema que não degenere é que quando uma agência emite uma opinião, que seja precisamente isso, uma opinião e não a verdade absoluta.

Uma das propostas feitas pela Comissão Europeia consiste em estabelecer um índice europeu de notação, enquadrado e gerido pela autoridade dos mercados financeiros europeus, parece-me uma proposta excelente.

Porque quem diz índice, diz média fornecida por várias agências, e assim dependeremos cada vez menos da opinião de uma única agência”

Última pergunta de Michael, de Bruxelas:

“- Gostava de saber quando é que vamos criar uma agência de notação europeia sobre as dívidas soberanas.”

Resposta de Philipponnat:

“- Sim. Aumentemos a competitividade, sim, façamos agências europeias…mas, mesmo assim, não é suficiente. É preciso tomar outras medidas: um índice europeu de notação, retirar das notações qualquer regulamentação financeira para que nos encontremos numa situação sã em que as análises emitidas (como disse há pouco e me parece importante) não sejam veredictos.

Se também deseja colocar uma questão faça-o através do nosso site. “