Última hora

Última hora

Crise abre novas portas ao turismo

Em leitura:

Crise abre novas portas ao turismo

Tamanho do texto Aa Aa

Começa a ser tempo de as pessoas que pensam viajar este verão, pensarem no destino a escolher. À margem da já conhecida crise económica global há quem se aventure por destinos diferentes. Entre eles o Dubai.

“Nos últimos 10 anos o Dubai passou a ser a escolha de muitos viajantes de todo o mundo, pela marca Dubai, um destino sustentável, seguro, por isso escolhem o Dubai. Tivemos 9 milhões de visitantes em 2011, o que significa um aumento de 10 por cento comparativamente ao ano anterior. Penso que estamos na direção certa promovendo o Dubai como um destino para todo o tipo de pessoas”, explica Abdullah bin Suwaidan do Turismo do Dubai.

Com 4,5 mil milhões de euros de receitas anuais e mais de 250 milhões de empregos, mundialmente, a indústria do turismo é uma das mais importante, mais até que a indústria automóvel. Mas qualquer mudança, causada por uma crise, é levada a sério pelos operadores.

A crise económica de 2008 e as diferentes crises políticas que se seguiram, a nível mundial, encorajaram o aparecimento de novos destinos de férias empurrando os países da velha tradição turística para a mudança e diversificação nas suas ofertas. Em comparação temos a Albânia, enquanto novo destino e o México, um dos veteranos.

“Nos últimos anos, tivemos um crescimento no turismo, especialmente turistas que procuram uma experiência original, em primeiro lugar. É óbvio que a natureza e o mar são atrações que estão em no topo das preferências, mas há sempre turistas que gostam de encontrar novos destinos, que procuram coisas novas que não nunca foram vistas”, adianta Arber Uka, do Departamento de Promoção Turística da Albânia.

“O que o México está a fazer, desde o ano passado e por indicação do Presidente da República Felipe Calderon, é integrar melhor todas as nossas mais-valias. Fez-se um acordo nacional para o turismo no qual se definiram os 100 pontos sobre os quais é preciso trabalhar para desenvolver mais a actividade turística. A meta para atingir estas metas é 2018. O objetivo é que o México passe do 10º lugar que ocupa no ranking da Organização Mundial de Turismo, que tem em consideração o número de turistas internacionais que visitam o país, para o 5º lugar”, afirma Javier Aranda Pedrero do Conselho de Promoção Turística do México.

Há quem acredito que destinos novos e novas propostas turísticas podem ajudar a reanimar a economia a nível mundial.