Última hora

Última hora

Habitantes de Heverlee sem palavras depois da tragédia

Em leitura:

Habitantes de Heverlee sem palavras depois da tragédia

Tamanho do texto Aa Aa

Os habitantes de Heverlee, onde se situa a escola católica de S. Lambertus, estão sem palavras para exprimir o que sentem nesta altura. No autocarro sinistrado seguiam um professor, uma monitora e 24 alunos deste estabelecimento de ensino. Os dois adultos faleceram. 16 crianças sobreviveram ao acidente, embora algumas estejam em estado grave. Sobre as restantes oito não havia informações disponíveis esta manhã. Um silêncio insuportável para os pais dos alunos.

“É terrível, não tenho palavras. Não tenho palavras para dizer…. deve ser… eu ponho-me no lugar dos pais que esta manhã deveriam ver os filhos, rever os filhos depois de uma semana na neve. É inimaginável!” – A dor de uma professora aposentada é partilhada pelos habitantes da freguesia Heverlee, que pertence à cidade de Lovaina. O presidente da câmara, Louis Tobback, manifestou alguma revolta hoje de manhã: “Temos a impressão que a comunicação não passou muito bem. Para pedir um número de telefone suíço para podermos telefonar, para tentarmos identificar as crianças, uma vez que tínhamos fotos…. Temos a impressão que a um dado momento os suíços cortaram a comunicação porque foram invadidos de telefonemas.”

A escola transformou-se em memorial improvisado. Desde esta manhã que muitas pessoas foram depositar flores junto ao portão. Mas, além da tragédia, a dúvida das famílias era o que mais pesava antes de viajarem para a Suíça.