Última hora

Última hora

Segundo ano de revolta na Síria

Em leitura:

Segundo ano de revolta na Síria

Tamanho do texto Aa Aa

A revolta Síria entra no segundo ano com um aumento da violência face a um regime determinado a esmagar o movimento.

Depois de Homs a cidade de Idlib encontra-se sob a pressão dos militares de Damasco, os combates são desde há várias semanas o quotidinao da população.

Os insurgentes possuem “apenas kalachnikovs e armas de pequeno porte” para enfrentar os tanques e a artilharia de 300 mil soldados do exército sírio.

“Somos todos sírios, estão a matar os meus irmãos, os meus primos, vizinhos e cidadãos. Cada criança que morre é uma perda para a Síria.

“Queremos armas para nos defendermos e uma zona de interdição aérea”.

Os militantes afirmam que a violência já matou 9.000 pessoas, desde o dia 15 de março de 2011, data do início da revolta.