Última hora

Última hora

Em busca do assassino de Toulouse

Em leitura:

Em busca do assassino de Toulouse

Tamanho do texto Aa Aa

Foi no apartamento onde vivia em Toulouse que Mohamed Merah se barricou. A polícia identificou e cercou o edifício às três horas da manhã na noite de terça para quarta-feira. Cercado, o suspeito reivindica as mortes de sete pessoas. Eis como os investigadores identificaram as pistas que levaram à sua detenção.
  – No dia 11 de março, Imad Ibn Ziaten colocou um anúncio na internet para vender uma mota. No anúncio Ziaten afirma que é militar. Talvez seja por isso que é abatido com uma bala na cabeça perto de um ginásio em Toulouse por um homem que depois foge numa mota.
  – A 15 de março tem lugar um novo ataque, desta feita em Montauban, ao lado de uma base militar. O assassino dispara contra três soldados que levantavam dinheiro numa caixa automática. Abel Chennouf e Mohamed Legouad morrem, Loic Liber fica gravemente ferido. Os investigadores descobrem no próprio dia que foi utilizada a mesma arma que no ataque do dia 11 de março.
 
Entretanto decorrem as investigações relativas ao primeiro assassinato durante as quais 576 endereços de internet relativos ao anúncio colocado por Ziaten são investigados a pente fino. Entre os nomes surge o de uma mãe de dois filhos já conhecidos das autoridades.
 
Trata-se de Abdelkader Merah, 29 anos, e Mohamed Merah, de 24 anos, ambos sob vigilância dos serviços de informações do ministério francês do interior.
  – Segunda-feira, dia 19 de março, O assassino volta a atacar. Desta feita, o alvo foi a escola judaica Ozar Hartorah de Toulouse. Ele mata quatro pessoas: o rabino Jonathan Sandler, os seus dois filhos e um outro aluno de oito anos.
 
A análise de imagens das câmaras de vigilância da escola permite traçar um perfil psicológico idêntico ao de Mohamed Merah, já anteriormente condenado por atos violentos.
  – A 20 de março as mesmas imagens revelam que a mota Yamaha Tmax utilizada pelo assassino foi pintada. A mota era inicialmente preta e no ataque à escola aparece pintada de branco.
  – No mesmo dia, este concessionário de Toulouse indica à polícia que o irmão de Mohamed Merah lhe perguntou como é que se desactivava o dispositivo de rastreio GPS da mota. Mohamed Merah é finalmente localizado pela polícia na terça-feira à tarde.