Última hora

Última hora

Execuções aumentaram em 2011 - Amnistia Internacional

Em leitura:

Execuções aumentaram em 2011 - Amnistia Internacional

Tamanho do texto Aa Aa

A Amnistia Internacional diz que o número de aplicações da pena de morte aumentou em 2011.

A organização de defesa dos Direitos Humanos afirma que a subida é particularmente notória no Médio Oriente.

A China continua a ser o país onde ocorre o maior número de execuções – mais do que no resto do Mundo – mas a confidencialidade dos dados não permite um balanço exato. A Amnistia Internacional fala em milhares por ano.

O secretário-geral da organização, Salil Shetty, diz que a maior parte dos casos ocorre “em países sem sistemas judicias justos. Na China, não há independência judicial; no Irão e na Arábia Saudita existem julgamentos secretos que visam grupos opostos aos regimes”.

Apesar de a China continuar a ser, de longe, o país onde a pena de morte é aplicada com maior frequência, no último ano assistiu-se a um aumento significativo no Irão, na Arábia Saudita e no Iraque.

Nestes três países, há registo de mais de 400 execuções no ano passado.

Os Estados Unidos foram o único país do G8 onde a pena de morte foi praticada e, na Europa, só há registo de duas execuções, levadas a cabo na Bielorrússia.