Última hora

Última hora

UE cria programa para reinstalar mais refugiados

Em leitura:

UE cria programa para reinstalar mais refugiados

UE cria programa para reinstalar mais refugiados
Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de 80% dos refugiados vivem em países pobres, vizinhos dos territórios em conflito. A União Europeia admite que pode receber mais, nomeadamente os vulneráveis como mulheres em risco e menores desacompanhados.

As Nações Unidas afirmam que mais de 172 mil pessoas deveriam ser reinstaladas em 2012, mas há apenas 80 mil lugares disponíveis.

Em 2010, a UE reinstalou dez vezes menos refugiados (4700) que o continente norte-americano (57 mil nos EUA e 6700 no Canadá). E mesmos estas 4700 pessoas estão em apenas 13 dos 27 estados-membros, aqules que têm programas anuais de reinstalação.

O Parlamento Europeu adota, esta quinta-feira, alterações à lei sobre reinstalação de refugiados e cria um Programa Conjunto da UE com mais incentivos financeiros e várias medidas, com base nas propostas do relator Rui Tavares, eurodeputado português do grupo dos Verdes.

“Vamos criar uma unidade de reinstalação – o que deve ocorrer provavelmente durante próximo ano -, no gabinete europeu de asilo. Temos a possibilidade de fazermos economias de escala em centros de trânsito e centros de tratamento, bem como ao nível das equipas que vão aos campos de refugiados e que fazem uma primeira abordagem com cursos de línguas, com avaliação dos dossiês dos refugiados”, explicou Rui Tavares.

Organizações não governamentais ajudam os governos neste processo, como por exemplo ao nível da procura de habitação, cobertura médica e escolar. Mas além de mais dinheiro, defendem um discurso político diferente.

“Os políticos deviam ser mais conscienciosos na forma como falam aos cidadãos sobre migração porque os refugiados não constituem de todo uma ameaça. A vida num campo de refugidos não é, de fato, vida. Não podem trabalhar, não podem cuidar da família, não podem fazer planos para o futuro”, realçou à euronews Karolina Babicka, membro da Caritas, uma organização católica que faz este tipo de trabalho social.

Até ao próximo dia 1 de Maio, cada país da UE deve referir o número de refugiados que quer reinstalar em 2013 e receberá entre 4 mil e 6 mil euros por cada um. O futuro do program será discutido nas atuais negociações do orçamento da UE para 2014-2020, estando estimados cerca de 700 milhões de euros para esta política.