Última hora

Última hora

"Amigos da Síria" reúnem-se em Istambul

Em leitura:

"Amigos da Síria" reúnem-se em Istambul

Tamanho do texto Aa Aa

Realiza-se hoje em Istambul a segunda reunião do Grupo de Amigos da Síria. Nela participam representantes de mais de 70 países que pretendem reforçar a pressão sobre o regime de Bashar al-Assad para acabar com a violenta repressão na Síria, que segundo as Nações Unidas fez mais de nove mil mortos em pouco mais de um ano.

A Rússia e a China rejeitaram o convite para a reunião.

“A comunidade internacional que representa os grandes valores dos direitos do homem deve enviar a mensagem de que está com o povo sírio. Isso é muito importante”, sublinhou o ministro dos Neg’ocios Estrangeiros turco durante uma entrevista concedida à Euronews.

O enviado especial da ONU e da Liga Árabe para a Síria, Kofi Annan apresentou um plano que preconiza o fim da violência, a ajuda humanitária e a libertação de pessoas detidas arbitrariamente. Damasco disse aceitar a iniciativa, mas nada fez para lhe dar seguimento.

O enviado especial da ONU e da Liga Árabe para a Síria, Kofi Annan, que vai apresentar na segunda-feira ao Conselho de Segurança os resultados da missão no país, e o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, estarão igualmente ausentes.

O plano Annan preconiza o fim da violência, a entrega de ajuda humanitária às zonas atingidas pelos combates e a libertação de pessoas detidas arbitrariamente. Damasco disse que aceita a iniciativa, mas nada fez para lhe dar seguimento.
A primeira reunião deste grupo decorreu em Tunes no final de fevereiro