Última hora

Última hora

Entrevista com o advogado de Adlène Hicheur detido por suspeita de terrorismo

Em leitura:

Entrevista com o advogado de Adlène Hicheur detido por suspeita de terrorismo

Tamanho do texto Aa Aa

Detido há dois anos e meio por suspeita de terrorismo, Adlène Hicheur, um cientista franco argelino que trabalhava no CERN de Genebra, foi acusado pelo Procurador-Geral de Paris de ser “conselheiro técnico de atentados”, que pediu uma pena de seis anos de prisão.

Em conversa telefónica, Consuelo Maldonado, da Euronews, ouviu Patrick Baudouin advogado de Adlène Hicheur.

Patrick Baudouin – O Procurador tentou demonstrar que o propósito traduzia a intenção de ajudar num ato em vista, ou na preparação de um ato terrorista e foi precisamente isso que eu contestei. Os propósitos de Adlène Hicheur nunca foram seguidos do início concreto do que quer que fosse.

Consuelo Maldonado – Foi possível identificar formalmente a pessoa com quem Hicheur trocou mensagens?

Patrick Baudouin – Essa pessoa não foi formalmente identificada porque durante a instrução do processo foi mencionado que parecia ser Mustapha Debchi, um quadro da Al Qaida no Magreb Islâmico.

Quando se tem a certeza da identidade de alguém, não se diz que parece ser, diz-se que é a pessoa em questão”, argumentou Baudouin.

A acusação de Adlène Hicheur baseia-se em 35 mensagens eletrónicas trocadas com sites de propaganda islâmica, cujo conteúdo o cientista admitiu poder ser considerado preocupante.