Última hora

Última hora

Tensão entre Londres e Buenos Aires marca 30.° aniversário da invasão das Malvinas

Em leitura:

Tensão entre Londres e Buenos Aires marca 30.° aniversário da invasão das Malvinas

Tamanho do texto Aa Aa

É com a tensão a aumentar, entre Londres e Buenos Aires, que os britânicos celebraram o trigésimo aniversário da invasão das ilhas Malvinas pelas tropas argentinas.

Durante a cerimónia, na capela do “Memorial”, veteranos e familiares das vítimas acenderam velas, em memória da guerra e dos que nela se perderam. Uma das velas vai continuar acesa até ao dia 14 de junho, data que marca o final da guerra.

“Hoje é um dia especial para recordar e refletir. Antes de mais, recordo o meu marido e, acima de tudo, recordo todos os que participaram no conflito”, diz Margaret Allen, que perdeu o marido, com o qual se tinha casado apenas duas semanas antes. Quanto ao veterano John Phillips, é um dos sobreviveu – e recorda essa dádiva todos os dias: “Todas as manhãs, quando me olho ao espelho enquanto faço a barba, penso nas Malvinas, porque perdi um braço. Mas tive um bónus: tive 30 anos mais de vida, que muitos outros não tiveram.”

Em pleno conflito diplomático entre os dois países, o ministro britânico da defesa veio deitar achas para a fogueira ao afirmar que Londres não permitirá que nenhum país tome o arquipélago.

Isto enquanto a presidente da Argentina apela ao diálogo. Cristina Fernandéz acrescentou ainda que pediu ajuda à Cruz Vermelha Internacional para identificar os corpos dos soldados enterrados nas ilhas.

A data de 2 de abril é celebrada, todos os anos, na Argentina.