Última hora

Última hora

Síria: Não há sinais de retirada militar

Em leitura:

Síria: Não há sinais de retirada militar

Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades sírias afirmam estar a retirar as tropas de algumas regiões do país, mas os combates têm vindo a intensificar-se noutras.

O emissário da ONU, Kofi Annan, diz esperar um cessar-fogo total até ao dia 12 de abril e garante que há um emissário no terreno para verificar as retiradas do exército anunciadas por Damasco.

Mas os militantes negam vigorosamente a retirada e falam mesmo de intensificação dos combates entre as forças governamentais e os insurgentes.

Na cidade de Idleb terão sido mortas já hoje uma dúzia de pessoas. Para além disso, combate-se também em Anadan, Homs e Douma, nos arredores da capital.

Segundo o Observatório Síro dos direitos Humanos, nos últimos dias morreram 170 pessoas.

A retirada militar é um dos principais pontos do plano de paz proposto por Kofi Annan, mas um responsável sírio, que pediu o anonimato, afirma que o regime não tem qualquer data limite para retirar as tropas das cidades.

Entretanto, milhares de pessoas continuam a convergir diariamente para os campos de refugiados da Turquia, Jordânia e Líbano.