Última hora

Última hora

ONU: Consenso no Conselho de Segurança

Em leitura:

ONU: Consenso no Conselho de Segurança

Tamanho do texto Aa Aa

Há consenso no Conselho de Segurança da ONU para enviar “o mais rapidamente possível” observadores internacionais para a Síria.

A Rússia e a China e estão pela primeira vez ao lado de Estados Unidos, França e Reino Unido. Uma resolução a autorizar o envio de monitores, encarregues de vigiar o precário cessar-fogo, deve ser aprovada já nesta sexta-feira.

Uma primeira equipa de 20 a 30 observadores internacionais poderá aterrar em Damasco no início da próxima semana.

Pressionada pelos republicanos, em ano de presidenciais nos Estados Unidos, a Casa Branca endurece o discurso. Afirmando que vai estar “vigilante” face a “evolução” da situação no terreno, a secretária de Estado Hillary Clinton exigiu o fim da “guerra do regime contra o seu próprio povo” e a saída de Assad do poder para que os sírios “tenham a possibilidade de traçar o seu próprio futuro”.

Washington considera que o plano de Annan “não é um menu de opções. É um conjunto de obrigações”.

Pequim e Moscovo, depois de terem vetado as anteriores resoluções que pretendiam condenar a repressão, apoiam agora o envio de uma missão de observação para a Síria “muito rapidamente”.

O embaixador russo nas Nações Unidas espera “a adoção”, já esta sexta-feira, duma resolução para o “envio de um primeiro grupo de monitores” internacionais. Uma “missão mais robusta”, “demorará ainda algum tempo” a organizar, acrescentou Vitaly Churkin.