Última hora

Última hora

Sarkozy corteja Frente Nacional para assegurar vitória

Em leitura:

Sarkozy corteja Frente Nacional para assegurar vitória

Tamanho do texto Aa Aa

Há cinco anos Nicolas Sarkozy foi o candidato da “França que se levanta cedo”. Fiel a esse princípio, o presidente candidato não perdeu tempo e esta terça-feira esteve presente num programa do canal de televisão France 2.

A manhã ainda era uma criança para muitos franceses, quando Sarkozy já se desdobrava em manobras de charme, com um discurso na esperança de conquistar a extrema-direita de Marine Le Pen: “A palavra fronteira não é um palavrão. É um erro diminuir o controlo das nossas fronteiras, quando a Europa nem sequer defende as suas. Não podemos continuar a receber tantos estrangeiros porque o nosso sistema de integração está completamente bloqueado uma vez que recebemos muitas pessoas.”

Marine Le Pen, a “fiel da balança” mantém o suspense no ar, mas, de acordo com o diretor de campanha, a 1 de maio deverá pronunciar-se sobre os candidatos da segunda volta das presidenciais.

“Já não acredito na sinceridade de Nicolas Sarkozy. Há cinco anos que ouvimos promessas tanto de um lado como do outro. O que vejo realmente é que nas regiões controladas pelos socialistas, nas câmaras socialistas e com Sarkozy como chefe de Estado houve mais imigração, mais laxismo, mais impostos”, disse a líder da Frente Nacional.

Se for eleito, François Hollande, o inimigo número 1 de Nicolas Sarkozy, promete mudar o rumo da Europa através de ações para amenizar medidas de austeridade e garantir maior justiça social. Mas o candidato também quer conquistar Frente Nacional:“A minha posição sobre a regularização dos que não têm os papéis em ordem é conhecida. Caso a caso, mas com dignidade. Sarkozy deixará entender que permitiremos tudo. É falso. Atualmente registam-se 30 mil regularizações por ano. Sarkozy quer reduzir a imigração legal para metade. A mesma imigração legal que ele aceitou durante 10 anos.”

Os dados estão lançados. A segunda volta das eleições presidenciais francesas acontece a 6 de maio.