Última hora

Última hora

Obras em Chernobyl aumentam riscos

Em leitura:

Obras em Chernobyl aumentam riscos

Tamanho do texto Aa Aa

Foi oficialmente lançada a construção do novo sarcófago que isola o reator número quatro de Chernobyl, o mesmo que explodiu há 26 anos.

O início da construção coincidiu, simbolicamente, com o aniversário daquela que é considerada como a maior catástrofe nuclear de sempre.

Com estas obras, vêm também novos perigos.

O especialista Yuri Andreyev, da associação “Soyuz Chernobyl”, contou à euronews as consequências da escavação, embora a administração da central continue a dizer que não há perigo para a saúde pública: “Por causa das obras, escavaram até ao nível onde estão o combustível nuclear e a grafite. O resultado é a subida do nível de radioatividade no ar. Com as obras, o nível ultrapassa as normas sanitárias em várias centenas ou mesmo vários milhares de vezes”.

A construção custa 1,5 mil milhões de euros e é financiada por vários doadores, tanto ucranianos como estrangeiros, públicos e privados.

É uma obra a cargo de duas empresas francesas, que estão a construir o sarcófago num terreno ao lado do reator, para depois ser movido.

Os peritos dizem que o projeto deste sarcófago não resolve o principal problema de Chernobyl, que é o do lixo nuclear dentro do reator que foi demolido. Não há, neste momento, maneira de mudar esses detritos para um lugar seguro.