Última hora

Última hora

Comissão europeia pode somar-se ao "euro boicote" à Ucrânia

Em leitura:

Comissão europeia pode somar-se ao "euro boicote" à Ucrânia

Tamanho do texto Aa Aa

A vaga de protestos contra a detenção da ex-primeira ministra ucraniana Iulia Tymoshenko aumenta os apelos, entre os líderes europeus a um boicote dos jogos do euro 2012.

A comissária europeia para a justiça deixou entender que não assistirá ao evento, depois da Chanceler alemã ter sugerido que só irá a Kiev se Tymoshenko for libertada.

Paralelamente, os presidentes da Áustria, República Checa e Alemanha cancelaram a presença numa cimeira de líderes do leste da europa agendada para o próximo mês em Ialta.

Em Berlim, uma habitante afirma que, “o boicote é a melhor medida a tomar pois a opinião pública tem de saber o que se passa na Ucrânia e a forma como o governo trata os seus cidadãos”.

Outra sublinha, “é um evento importante para a Ucrânia, pois o país encontra-se numa má situação económica e necessita do dinheiro dos fãs de futebol”.

Outro ainda salienta que, “o boicote tem algum sentido neste momento, mas pergunto-me se servirá para alguma coisa, pois será uma pena perder esta oportunidade de ver a nossa equipa em campo”.

Desde a detenção de Iulia Tymoshenko, em Outubro, que os líderes da União Europeia denunciam as “motivações políticas” da sua condenação a sete anos de prisão por abuso de poder.

A principal rival do atual presidente iniciou, há uma semana, uma greve de fome contra as condições da sua detenção depois de denunciar ter sido vítima de maus tratos.