Última hora

Última hora

Desemprego na zona euro atinge máximo de 15 anos

Em leitura:

Desemprego na zona euro atinge máximo de 15 anos

Tamanho do texto Aa Aa

Numa zona euro que vê subir a taxa de desemprego, a Alemanha é uma exceção. Em abril, a primeira economia da zona euro registou uma descida de 65 mil no número de desempregados. A taxa é agora de sete por cento, o que equivale a menos de três milhões de pessoas sem trabalho.

Há três anos que o mercado do trabalho alemão está a melhorar graças ao dinamismo económico. O que não acontece na maioria dos países europeus.

Na zona euro, em março, a taxa de desemprego subiu para 10,9 por cento, o máximo de 15 anos e acima da taxa média da União Europeia (10,2%). Portugal, com 15,3 por cento, tem a terceira taxa mais elevada, depois de Espanha, com mais de 24 por cento, e da Grécia com quase 22. Já Áustria (4%) e Holanda (5%) são os países com as taxas mais baixas.

No espaço de um ano, a zona euro perdeu mais de um 1,7 milhões de empregos e a tendência deverá manter-se.

A produção industrial na zona euro caiu em abril para mínimos de quase três anos. A economia europeia está a sofrer com a subida do petróleo, mas sobretudo, com a crise da dívida.