Última hora

Última hora

Hollande e Sarkozy ao "sprint" depois do debate de ontem

Em leitura:

Hollande e Sarkozy ao "sprint" depois do debate de ontem

Tamanho do texto Aa Aa

A noite foi curta, para os dois candidatos à presidência francesa. Esta manhã bem cedo François Hollande e Nicolas Sarkozy já estavam nas rádios parisienses. Um “sprint” antes da segunda volta, este domingo, para analisarem o debate televisivo da véspera.

“Penso que o voto na segunda volta será muito importante. Penso que a audiência do debate foi muito importante. E aquele que disser que um debate que é visto por cerca de 20 milhões de telespetadores não tem importância é louco. Jamais uma eleição esteve tão incerta…”, afirmou Nicolas Sarkozy, que ainda acredita na vitória, apesar de as sondagens dizerem o contrário.

François Hollande, por seu lado, já se imagina presidente: “O debate devia, sim, ser firme e duro, mas não devia ter a forma de invetivas, porque os franceses não gostam desse clima. E porque quero ser um presidente da reconciliação, da união, tenho cuidado em expor os meus argumentos sem magoar.”

Uma crítica a Sarkozy, que por várias vezes, acusou Hollande de mentir sobre dados concretos.

Durante quase três horas, os dois candidatos esgrimiram argumentos sobre economia, desemprego ou imigração, por exemplo, neste que é o último confronto antes das eleições de domingo.

Um confronto em clima de intimidação mútua, como explica o analista dos media Christian Delporte: “O que é bastante característico são os primeiros 10 minutos, que foram 10 minutos de intimidação dos dois homens e que acabaram por fixar o clima do debate.”