Última hora

Última hora

China: Dissidente cego telefona para Washington e pede ajuda a Hillary Clinton

Em leitura:

China: Dissidente cego telefona para Washington e pede ajuda a Hillary Clinton

Tamanho do texto Aa Aa

Novo volte face no caso do dissidente chinês cego. Chen Guangcheng protagonizou um momento inédito ao telefonar do seu quarto de hospital em Pequim para uma comissão do Congresso norte-americano que estava reunida a discutir assuntos relacionados com o Império do Meio.

No contacto direto com os congressistas, o dissidente pediu um encontro com Hillary Clinton e a “ajuda” da secretária de Estado norte-americana para deixar a China, onde diz já não se sentir “seguro”.

Em ano de presidenciais, a Casa Branca afirma manter o contacto com Chen e a sua mulher e que este “aparenta estar a mudar de ideias sobre o que é melhor para ele” e para a família.

Conhecido por denunciar os abusos da política do filho único e de expropriações na China, Chen conseguiu fugir de prisão domiciliária e refugiou-se 6 dias na embaixada americana.

Após supostas garantias de segurança por parte das autoridades, o ativista deixou a representação diplomática e foi para um hospital, poucas horas antes de Clinton aterrar em Pequim para conversas ao mais alto nível sobre assuntos estratégicos e económicos.

O dissidente revelou entretanto que só disse que queria ficar na China por medo de represálias contra a família.