Última hora

Última hora

Grécia à espera de uma segunda coligação

Em leitura:

Grécia à espera de uma segunda coligação

Tamanho do texto Aa Aa

Atenas preparada para celebrar o resultado eleitoral das primeiras eleições gerais determinantes para o futuro do país desde o regresso da democracia em 1974.

Depois de cinco anos de recessão o partido Nova Democracia, de Antonis Samaras, apresenta-se como o favorito nas sondagens, mas sem maioria absoluta. Uma segunda coligação é o futuro que espera o país.

Este cenário favoriza o reforço da extrema direita, como é o caso deste partido Golden Dawn”.

“Em Atenas, no centro de Atenas, os gregos são uma minoria. Estou a falar da grande área da cidade, são uma pequena minoria. Onde quer que vá, mesmo o sul da Grécia está cheio, os subúrbios estão cheios de imigrantes ilegais e todos os dias chegam mais.

O número de imigrante ilegais no país ronda um milhão, números não oficiais e a Grécia é a porta de entrada dos imigrantes asiáticos.

Para este responsável de uma organização dos direitos humanos deve fazer-se uma campanha para mostrar a realidade que este país não é o paraíso. “Têm ideia de uma certa imagem, que vão ter emprego, isto não é o paraíso e têm de ser prevenidos”.

A perda generalizada de confiança nos dois principais partidos que governaram o país nos últimos 37 anos criou um grande vazio, do qual se beneficiam todos os partidos e grupos que não estão no poder.

Em Atenas a repórter da euronews dá conta de um mal estar enorme cuja repercussões são imprevisíveis.

“Aqui temos vários elementos explosivos que fazem da sociedade grega um laboratório que mostra como a extrema direita pode evoluir na europa”.