Última hora

Última hora

Grécia sem governo à vista

Em leitura:

Grécia sem governo à vista

Tamanho do texto Aa Aa

A reunião dos líderes dos três principais partidos gregos com o presidente Carolos Papoulias terminou sem que tivesse sido encontrada uma solução de governo.

As consultas prosseguem com os pequenos partidos, ao mesmo tempo que o líder conservador, Antonis Samaras, propõe a formação de um governo interino durante dois anos, para que a Grécia permaneça na zona euro.

O único que parece ainda guardar alguma esperança é o líder do PASOK. Evangelos Venizelos disse no final da reunião:

“Apelo à lógica e ao patriotismo de todos os cidadãos e dos líderes políticos. Ainda agora, apesar do impasse da reunião com o presidente, mantenho algum optimismo de que um governo seja formado”.

O bloqueio surge do segundo partido mais votado, o Syriza, que rejeita a austeridade e a aplicação do acordo assinado com os credores. Alexis Tsipras não deixa margem para dúvidas quanto à sua determinação:

“O problema do país é que continua a desarmonia entre a política corrente e o desejo político do povo. Enquanto insistirem com o plano de resgate, com uma política que o povo rejeitou, não podem garantir a estabilidade social. Depois do encontro de hoje, é claro que não estão a pedir o acordo do Syriza, estão a pedir cumplicidade para um crime e nós não seremos cúmplices” .

Mas é com a cumplicidade de muitos e o receio de muitos outros que a Grécia se aproxima cada vez mais da porta da eurozona.