Última hora

Última hora

RUSSIAN LIFE: A natureza de Altai  

Em leitura:

RUSSIAN LIFE: A natureza de Altai  

Tamanho do texto Aa Aa

No sul da Sibéria, onde a Rússia se junta com o Casaquistão, Mongólia e China,  num lugar quase virgem, as pessaos tentam viver em harmonia com a natureza. Neste “Russian Life” viajamos por Altai.
 
A paisagem é impressionante: planícies infinitas a fazer fronteira com floresta e zonas glaciares, desertos que rodeiam montanhas com neve.
Esta diversidade é formada pela cadeia de montanhas Altai que se estende por cerca de 2000 quilómetros entre duas zonas climáticas. Isso traz para Altai todos os tipos de amantes da natureza.
O parapente, por exemplo. Aqui decorrem várias competições nacionais.  Vladimir Milov, Paragliding instrutor de parapente, diz que “quando peço desculpa às pessoas pela falta de estradas decentes aqui, muitas responde que não há problema, que é melhor manter assim, que não se importam guiar em terra batida e que não há qualquer problema com uma pequena caminhada.”
 
Muitos vêm para fazer caminhadas, pescar ou fazer rafting nos rios dos glaciares de Altai, outros vêm fazer escalada ou passeios de cavalos.
 
Esta natureza primitiva de Altai foi mantida como sagrada pelos nómadas que viviam na região. As tribos locais são seguidoras do Xamanismo e adoram espíritos que vêm nas montanhas, nos rios, nas árvores, em toda a natureza. Ludmila Menyailova guia no centro de Património de Novotyryshkino sublinha que “as pessoas de Altai acreditam que em todas as plantas existe um espírito e isso para eles era essencial.”
 
Os locais ainda preservam algumas dessas referências antigas. Apesar de muitas zonas se estarem a tornar em enormes resorts, a maior parte da região continua sem ser tocada pela civilização. O cavalo continua a ser o transporte mais usado em estradas onde a maior parte dos veículos não passa.
 
 
A palavra “Altai” surgiu do “ouro” na Mongolia. A meados de Maio começa a Primavera nas Montanhas Douradas onde que florescem com ervas silvestres e flores.
Ingredientes fundamentais para os medicamentos naturais ainda feitos pelos mais antigos.
 

Dados sobre Altai

  • A região de Altai abrange 845 mil quilómetros quadrados
  • Está localizada na junção da Rússia, Kazaquistão, Mongólia e China
  • As cidades mais próximas são Barnaul, Gorno-Altaysk e Novosibirsk
  • A partir de Moscovo são 3.5 horas de voo
  • A vasta área inclui as chamadas “Montanhas Douradas de Altai”, classificadas como Património da Humanidade pela UNESCO

A grande quantidade de cavernas nas montanhas de Altai são testemunha da longa história arqueológica da região.
O complexo labirinto de túneis interligados parece feito artificialmente. E nestes corredores foram encontrados vestígios que mostram que foram usados como habitação há centenas de anos.
Mas estas cavernas foram formadas naturalmente pelas correntes de água que escavaram as camadas de calcário no início dos tempos geológicos, quando esta área era o fundo de um oceano.
 
Hoje a diversidade de plantas silvestes e o clima ameno tornam a região num Eldorado para os apicultores. O mel local é considerado o melhor do país. Slava Medovukha é apicultor e lembra que “não existem fábricas, não há poluição industrial num raio de 200 quilómetros daqui. Quem aqui vem adora o nosso mel e fazem logo reservas para a próxima visita. Não produzimos muito mas é suficiente para todos.”
 
Mesmo durante a primavera nos vales de Altai, o topo das montanhas continua com neve.
A Tserkovka ergue-se sobre Belokurikha – famosa pelas suas nascentes de radónio. O cume da montanha, coroada com monólitos de pedra de origem vulcânica, tem sido o lugar mais sagrado de culto para os poderes da natureza  de Altai.
Tamara Batuyeva, diretora do Museu de História de Belokurikha  garante que “este lugar faz a alma sorrir e cantar. Todos os problemas, todas as dores são curados pela montanha. Esta é a grande diferença para as outras montanhas do mundo.”
 
http://pt.euronews.com/life/