Última hora

Última hora

Vaticano: Polícia abre túmulo para investigar desaparecimento de adolescente

Em leitura:

Vaticano: Polícia abre túmulo para investigar desaparecimento de adolescente

Tamanho do texto Aa Aa

A polícia italiana abriu esta segunda-feira o túmulo de Enrico de Pedis, um criminoso assassinado em 1990 mas que teve a honra de ser sepultado na Basílica de Santo Apolinário, no Vaticano. O mafioso é suspeito de estar envolvido no sequestro e no desaparecimento de Emanuela Orlandi, em 1983. A adolescente era filha de um funcionário da Santa Sé.

O irmão de Emanuela Orlandi, explica que “o Vaticano mostrou-se disposto a colaborar na resolução do caso, numa recente nota publicada pelo padre Lombardi.” Pietro Orlandi espera que “esta colaboração seja feita com o máximo de transparência possível, em contraste com o que se passou no passado em que não houve nem colaboração nem transparência.”

Suspeita-se que os restos mortais da jovem desaparecida tenham sido sepultados no mesmo túmulo do criminoso, que tinha, alegadamente, ligações à máfia, a lojas maçónicas e aos setores financeiros do Vaticano. A polícia recuperou várias caixas com ossadas que estavam junto ao corpo do defunto.