Última hora

Última hora

Jean-Marc Ayrault é o primeiro-ministro de François Hollande

Em leitura:

Jean-Marc Ayrault é o primeiro-ministro de François Hollande

Tamanho do texto Aa Aa

Jean-Marc Ayrault é o novo primeiro-ministro francês. Aos 62 anos, o antigo professor de língua alemã chega à chefia do executivo sem nunca ter exercido um cargo ministerial, mas com a experiência de liderar a bancada socialista desde 1997. A imagem de homem ponderado, capaz de construir pontes de diálogo e conhecedor do sistema político francês, acompanha o novo inquilino do Palácio Matignon. Jean-Marc Ayrault é um velho amigo de François Hollande, ao lado de quem se sentou no parlamento durante vários anos.

A experiência governativa do novo primeiro-ministro resume-se à cidade de Nantes, onde é presidente da câmara desde 1989. Um colaborador próximo fala da sua personalidade – “Ele não é frio, é reservado. Mas sempre que se encontra numa situação onde haja algum calor humano que lhe permita sair da sua concha, onde se refugia para trabalhar, Jean-Marc Ayrault é outra pessoa” – explica Jean-Louis Jossic, vereador da Cultura.

O desenvolvimento de Nantes nas últimas três décadas deve muita à ação de Jean-Marc Ayrault, em particular no domínio económico e cultural. Mas alguns munícipes criticam a sua gestão, em particular no que respeita aos grandes projetos de obras públicas. “Negativo? Um pouco megalómano. Um projeto de aeroporto inútil e talvez um projeto de um novo hospital que não é necessário. Podíamos fazer tudo com menos custos.”

Jean-Marc Ayrault foi um dos primeiros apoiantes do candidato François Hollande. Durante a campanha presidencial teve como principal missão a ligação com os partidos europeus de esquerda, e em particular com os sociais-democratas alemães. O novo primeiro-ministro poderá ajudar o presidente a dialogar com a chanceler alemã. Mas apesar de falarem a mesma língua, os dois chefes de governo não falam a mesma linguagem. Jean-Marc Ayrault considera que o pacto fiscal está incompleto e que é necessário um pacto para o crescimento económico.