Última hora

Última hora

NATO: Obama garante continuar a apoiar Afeganistão

Em leitura:

NATO: Obama garante continuar a apoiar Afeganistão

Tamanho do texto Aa Aa

A NATO nega estar a precipitar a saída das tropas do Afeganistão, apesar da decisão da França de apressar a sua retirada.

O presidente dos Estados Unidos garantiu ao governo afegão, no final da Cimeira de dois dias da Aliança Atlântica, que a comunidade internacional não vai abandonar o país no processo de assumir o controlo da segurança no território.

“Isso não marcará o fim dos desafios do Afeganistão ou a nossa parceria com esse país. Estamos a fazer progressos substanciais no nosso principal objetivo que é derrotar a Al-Qaeda, negando-lhe um refúgio seguro, e ao mesmo tempo ajudar os afegãos a defenderem-se. Deixamos Chicago com um plano claro, a nossa coligação está comprometida em colocar fim à nossa guerra no Afeganistão, de modo responsável,” garantiu Barack Obama.

O recém eleito presidente francês, François Hollande, prometeu cumprir a promessa de campanha de antecipar, para o final de 2012, a saída das tropas francesas do território afegão.

Um ano antes do acordado com o antigo presidente, Nicolas Sarkozy.

“Em 2013 haverá ainda pessoal, no território afegão, a desempenhar um papel de formação, como já foi tornado público. Depois disso, vamos precisar de pessoal para trazer o nosso equipamento, mas não sei quanto tempo isso vai levar,” diz François Hollande.

Quanto à perspetiva da reabertura de uma rota de abastecimento para o Afeganistão, através do Paquistão, o secretário-geral da NATO, Anders Fogh Rasmussen, mostrou-se otimista.

“Sem surpresa, os líderes consideraram esta cimeira, aqui em Chicago, um sucesso para o futuro da NATO, mas, apesar da aprovação de um calendário para sair do Afeganistão, os problemas com o Paquistão e a decisão da França de retirar as tropas mais cedo não são fáceis de disfarçar.

Paul Hackett, o enviando especial da Euronews à cimeira da NATO, em Chicago.