Última hora

Última hora

Rebeldes sírios negam responsabilidade no rapto de 11 libaneses

Em leitura:

Rebeldes sírios negam responsabilidade no rapto de 11 libaneses

Tamanho do texto Aa Aa

O líder da comunidade xiita do Líbano lançou um apelo à calma, depois de pelo menos 11 membros da comunidade terem sido sequestrados no norte da Síria.

Os rebeldes sírios, inicialmente dados como suspeitos da ação, desmentiram esta noite qualquer envolvimento no sequestro.

O incidente ameaça inflamar os ânimos no país vizinho, no seio da comunidade xiita pró-síria que bloqueou durante horas a principal estrada de acesso ao aeroporto de Beirute.

Numa mensagem radiofónica, o líder do movimento xiita libanês Hezbollah tentou acalmar os ânimos:

“Cabe apenas às autoridades sírias resolver a situação, por isso apelo à contenção. Podemos exprimir a nossa revolta de uma forma cívica e pacífica, nós vamos trabalhar dia e noite até conseguirmos que os reféns regressem a casa”.

Poucos minutos após o discurso de Nasrallah, o exército sírio iniciava uma operação militar na zona de Aleppo, onde tinham desaparecido os 11 libaneses.

“Ninguém deve cortar estradas, como aconteceu há poucos minutos. Não queremos que nenhum campo se utilize deste incidente para criar problemas com o exército libanês ou com as forças de segurança, tentando arrastar o país para uma situação diferente do problema humanitário que enfrentamos que pode ser facilmente resolvido com a libertação de todos os reféns”.

Desde o fim de semana, que a situação na Síria aumenta a tensão nas ruas de Beirute. Pelo menos duas pessoas morreram na segunda-feira durante combates entre milícias sunitas rivais, após o assassínio de um imã sunita oposto a Bashar Al Assad.