Última hora

Última hora

Nos bastidores do Festival da Eurovisão

Em leitura:

Nos bastidores do Festival da Eurovisão

Tamanho do texto Aa Aa

Baku, a capital do Azerbaijão, vive um dos momentos mais mediáticos – e mais polémicos – dos últimos tempos: o Festival da Eurovisão.

O popular concurso tem como pano de fundo, a detenção, na sexta-feira, de dezenas de opositores ao regime de Ilham Aliev que voltaram a tentar realizar um protesto para exigir eleições livres no país.

Mas para Nikki, a vencedora do ano passado, este é apenas o maior evento jamais realizado na antiga república soviética: “Sabe… Todas estas coisas que se estão a passar, este enorme edifício, todos estes convidados estrangeiros que vêm ao Azerbaijão… parece-me inacreditável.”

O edifício em causa é o Cristal Hall – ou Palácio de Cristal – erguido em tempo recorde nas margens do Mar Cáspio para receber o grande evento.

“Estou sentada na cadeira do realizador, que dirige os operadores de camera que estão na sala”, explica Galina Polonskaya. A enviada especial da euronews, que teve acesso exclusivo à régie, continua: “O realizador comunica com eles através deste microfone e os nomes de cada um – são 26 – estão escritos nestes monitores.”

Uma régie, na qual, a política fica, aparentemente, de fora, depreende-se das palavras de Jörg Grabosch, o realizador: “O que há de mais especial neste Festival da Eurovisão é que esta é a primeira vez que o evento decorre num pavilhão acabado de construir. Quando começámos os preparativos, há oito meses, não havia nada aqui. Era uma ilha onde não havia nada e agora temos este Palácio de Cristal.”

Uma régie, na qual, a política fica, aparentemente, de fora, depreende-se das palavras de Yorg Grabosh, o realizador: “O que há de mais especial neste Festival da Eurovisão é que esta é a primeira vez que o evento decorre num pavilhão acabado de construir. Quando começámos os preparativos, há oito meses, não havia nada aqui. Era uma ilha onde não havia nada e agora temos este Palácio de Cristal.”

Um Palácio de Cristal que o presidente Aliev espera que seja uma montra de um regime cada vez mais criticado pelas violações dos direitos do Homem.

Artigos relacionados: Eurovisão: A conspiração dos votos