Última hora

Última hora

Quebeque: estudantes manifestam-se contra lei "anti-manifestações"

Em leitura:

Quebeque: estudantes manifestam-se contra lei "anti-manifestações"

Tamanho do texto Aa Aa

Depois de meses de manifestações contra o aumento das propinas, os estudantes da região canadiana do Quebeque regressaram às ruas para protestar contra a nova lei do governo que, segundo eles, limita o direito de manifestação.

Os movimentos estudantis apresentaram ontem um recurso no supremo tribunal em Montreal contra a nova legislação aprovada no dia 18 e que consideram inconstitucional.

Uma responsável do movimento sublinha que, “mais de 500 advogados disponibilizaram o seu tempo livre para ajudar a preparar o recurso apresentado hoje”.

Outro afirma, “como cidadão do Quebeque estou preocupado com o facto de que o governo está atacar os nossos direitos fundamentais garantidos pela Constituição”.

O texto prevê enquadrar o direito de manifestação após mais de 100 dias de conflito com os estudantes, proibindo o bloqueio das universidades e obrigando os movimentos estudantis a informar as autoridades do itinerário das manifestações, com oito horas de antecedência.

O movimento de protesto, comparado por alguns a um “Maio de 68” canadiano, tinha levado à demissão do ministro da educação na semana passada.

O governo convocou uma nova reunião com os estudantes, para a próxima semana, para tentar evitar o prolongamento do conflito antes de Montreal acolher no próximo mês uma competição internacional de Fórmula 1.

O conflito ameaça aumentar o apoio aos partidos independentistas do Quebeque num momento em que a atuação do atual governo de centro direita de Jean Charest é punida nas sondagens. As próximas legislativas estão marcadas para o próximo ano.