Fechar
Login
Por favor, introduza os seus dados de login

Skip to main content

Os oceanos compõem cerca de 70 por cento da superfície da Terra, por isso, retirar energia deste recurso natural é imperativo.

Na Dinamarca, está a ser desenvolvido um protótipo de flutuadores que devem transformar a força das ondas em energia.

Apesar de ser considerada “limpa”, esta operação de alta tecnologia não está isenta de problemas.

Como evidencia o diretor da Dexawave, Lars Elbaek: “É um ambiente difícil e esse é um dos maiores desafios. Por exemplo, hoje é impossível chegar lá pois as ondas são demasiado grandes. Se não conseguimos chegar lá, então não conseguimos ir a bordo do conversor de energia das ondas.”

O protótipo, desenvolvido pela empresa Dexawave, está nas águas do Mar Báltico desde março de 2011.

E como funciona?

“Se imaginar as ondas, existem dois flutuadores, e eles movem-se com as ondas, assim… Entre os dois flutuadores temos dois cilindros hidráulicos, que colocam em funcionamento uma turbina hidráulica, que por sua vez coloca em funcionamento um gerador elétrico,” explica Elbaek.

As pesquisas para tornar a energia das ondas uma tecnologia mais barata e acessível, continuam.

Um projeto de investigação da União Europeia está tenta melhorar a eficiência do sistema de bomba hidráulica, da Dexawave.

Os cientistas desenvolvem um modo de melhorar a articulação de ancoragem e estão ainda a desenvolver tipos diferentes de betão, para ser utilizado nos flutuadores.

Está, já, em construção uma versão de tamanho real do protótipo.

O diretor da Dexawave diz como vi ser: “É um conversor de 250 quilowatts. Tem 24 metros por 60, e pesa 400 toneladas.”

Os cientistas esperam colocar, em 2013, ao largo de Malta, vários conversores da energia das ondas.

Copyright © 2014 euronews

Mais informação sobre