Última hora

Última hora

Presidente sérvio nega genocídeo

Em leitura:

Presidente sérvio nega genocídeo

Tamanho do texto Aa Aa

O novo presidente Sérvio negou o genocídeo de Srebrenica, em 1995, o que está a provocar alguma tensão na região dos Balcãs.

Numa declaração televisiva, Tomislav Nikolic mostrou-se disposto a punir os culpados de um crime que, no entanto, não considerou como genocídeo.

Uma afirmação que contradiz a conclusão do Tribunal Penal Internacional, para a ex-Jugoslávia.

Disse mais, que não se tratou de um ato premeditado:

“Não se pode afirmar que se trata de um ato premeditado e que o que se passou tenha sido verdadeiramente um ato de genocídeo. Produziu-se um grande crime em Srebrenica, cometido por alguns sérvios, alguns membros do povo sérvio, e é preciso encontrá-los, julgá-los e puni-los. Só isso. Não é preciso que esse acontecimento provoque conflitos entre a Sérvia e a Croácia, os sérvios e os croatas, os sérvios e os bósnios. Não é preciso que isso influencie as relações entre os nossos países e os nossos povos”.

E já há uma primeira reação. O representante muçulmano da presidência bósnia, Bakir Izetbegovic disse que a negação do genocídeo pode ser uma fonte de tensão, na região.