Última hora

Última hora

Familiares das vítimas da revolução querem novo processo

Em leitura:

Familiares das vítimas da revolução querem novo processo

Tamanho do texto Aa Aa

Moaz é uma das vítimas da revolução de 25 de janeiro. A polícia egípcia espancou-o na praça Tahrir e ele acabou por morrer. A família reclama um julgamento revolucionário, um processo justo que honre todos quantos perderam a vida durante a revolta popular, caso contrário os mártires da revolução perderam as vidas em vão. Por isso contestam o veredicto do processo de Mubarak e dos seus acólitos. Seis responsáveis dos serviços de segurança foram ilibados pelo tribunal.

“Foi um choque para nós. Ficámos dececionados com este julgamento injusto e agora sentimos que o regime não caiu e que o sangue dos mártires não serviu para nada” – afirma o irmão de Moaz.

“Hei de vir todos os dias à praça Tahrir até que consiga vingar o meu filho e que o Estado e o conselho militar respondam às nossas exigências. Não vou desistir dos direitos do meu filho nem do seu sangue!” – exclama a mãe.

“A mãe de Moaz e as mães de centenas de jovens que perderam as vidas durante a revolução vão continuar a manifestar-se na praça Tahrir porque recusam de forma categórica o veredicto do tribunal que julgou Mubarak e os seus colaboradores” – Riad Muasses, euronews.