Última hora

Última hora

Rastilho do conflito sírio ateia-se no Líbano

Em leitura:

Rastilho do conflito sírio ateia-se no Líbano

Tamanho do texto Aa Aa

O conflito sírio prosseguia, esta manhã, no vizinho Líbano. Apoiantes e opositores do regime de Bashar Al-Assad continuam a afrontar-se, disparando tiros de metralhadora e granadas autopropulsadas nas ruas de Tripoli, uma cidade portuária libanesa.

Isto, depois de uma noite de confrontos que provocou a morte a 14 pessoas e ferimentos em meia centena. Foi o balanço mais violento já registado nesta cidade libanesa e uma prova de que o rastilho do conflito sírio corre o risco de se incendiar violentamente no Líbano.

Recorde-se que, durante 30 anos, o Líbano viveu na sombra da Síria, que, até 2005, mantinha tropas estacionadas no país.

Os confrontos levaram à intervenção do primeiro-ministro libanês, Najib Mikati, que se reuniu com os líderes dos dois grupos numa tentativa de apaziguar a situação.

Esta noite, cansada de uma guerra estrangeira e inter-religiosa – entre a fação alauita, de Bashar Al-Assad, e os sunitas, da oposição síria – a população libanesa saiu à rua. Numa manifestação pacífica, vários populares empunhavam cartazes onde se lia: “Queremos viver em paz”.