Última hora

Última hora

Pierre Moscovici garante em Bruxelas que França descerá o défice

Em leitura:

Pierre Moscovici garante em Bruxelas que França descerá o défice

Tamanho do texto Aa Aa

A recomendação de Bruxelas para que a França se esforce mais no equilíbrio das contas públicas é aceite por Paris sem reservas. A previsão de défice para este ano é de 4,5%, acima do valor imposto pelo Pacto de Estabilidade e Crescimento.

De visita à Comissão Europeia, o novo ministro da Economia e das Finanças, Pierre Moscovici, prometeu fazer as reformas estruturais necessárias: “Olli Rehn acabou de dizer que é possível atingirmos o défice de 3% em 2013 e uma situação de equilíbrio em 2017. Eu disse-lhe novamente que não só é possível, como vamos atingi-lo. E fazê-lo sem recorrer a medidas de austeridade, garanto”.

Paris e Bruxelas estão de acordo neste ponto, bem como na recente proposta de criar uma união bancária. Já a promessa do Presidente francês, François Hollande, de renegociar o pacto orçamental deverá exigir, primeiro, o acordo da Alemanha, que tem estado contra.

“Se os franceses querem fazer algo concreto nessa área terão de ter o acordo da Alemanha, obtendo dela mais dinheiro ou outro tipo de concessões. Neste momento, não me parece que isso possa acontecer e é por isso que o ministro francês não vai conseguir muitos apoios em Bruxelas. Ele tem primeiro de ir a Berlim”, disse à euronews o analista Daniel Gros, do Centro de Estudos de Política Europeia, em Bruxelas.

O Presidente da França tem frisado que a austeridade deve ser compensada com investimento e a criação das euro-obrigações, para travar a crise da dívida soberana. Medidas que implicam mais despesa, sobretudo para a Alemanha, que é o maior financiador da União Europeia.

sot moscovic

“Olli Rehn acabou de dizer que é possível atingirmos o défice de 3% em 2013 e uma situação de equilíbrio em 2017. Eu disse-lhe novamente que não só é possível, como vamos atingi-lo. E vamos fazê-lo sem recorrer a medidas de austeridade”