Última hora

Última hora

Prejuizos dos sismos de Itália atigem dezenas de milhões de euros por dia

Em leitura:

Prejuizos dos sismos de Itália atigem dezenas de milhões de euros por dia

Tamanho do texto Aa Aa

Emilia-Romana tenta sarar as feridas depois de três terramotos devastadores.

À dor das perdas humanas e do património histórico desta região do nordeste de Itália, somam-se os graves danos para a economia da região, entre as mais prósperas e produtivas do país.

Em 2009, o PIB tinha atingido 135 milhares de milhões de euros, segundo o Eurostat.

Das 20 regiões italianas, Emilia Romana é a quarta maior, e segundo Cofindustria (patronato italiano) participa com 10% para o PIB italiano.

A região tem uma empresa para cada dez habitantes, a maioria PME’s. O sismo paralisou a actividade em muitas delas.

Segundo a Confindústria as perdas económicas elevam-se, para já, a 10 milhões de euros por dia.

O sector biomédico é um dos pilares da indústria na região, que conta com uma centena de PME’s que dão trabalho a mais de 5 mil pessoas.

O volume de negócios do sector biomédico eleva-se a 950 milhões de euros, 40% dos quais procedem da exportação.
O governo italiano calcula que os danos desta indústria rondam os 900 milhões de euros.

Para o empresário Emilio Contini, da ARTECH, que fabrica válvulas cardíacas que se vendem a todos os hospitais de Itália, há que tentar levantar cabeça, apesar das ruínas.

“Não sei que tipo de ajuda nos vão dar. Não podemos pedir caridade nem esperar muito, porque há muita gente que está pior e perdeu as casas.
Precisamos de um momento para respirar, e se a administração nos puder dar algum dinheiro, como noutras partes de Europa, em 90 dias, em vez de em um ano, seria uma ajuda enorme. Ainda não sabemos o que vão fazer os bancos”.

Uma outra fábrica de componentes para equipamentos médicos calculou os prejuizos, provisoriamente,
em cerca de 10 milhões de euros.

Giorgio Mari, diretor do Fresenius Hemocare Itália:

“- Somos os únicos provedores de um importante componente para o Grupo Fresenius . O Grupo tem várias fábricas que precisam do componente que se produz nesta zona para completar o produto. Por isso o impacto económico é enorme. Temos de encontrar urgentemente um modo de recomeçar.”

Mas Emilia Romana é também uma região agrícola onde se produz o vinagre de Modena, o presunto de Parma e o queijo parmesão.

Os danos provocados pelos sismos à agricultura elevam-se a 500 milhões de euros.

Um dos produtos mais famosos da região é o queijo parmesano Reggiano. 10% da produção foi afetada. São dois anos de trabalho perdidos, mas os empregados das produções lutam para salvar os queijos, apesar da fragilidade das instalações e do risco.