Última hora

Última hora

Jovens espanhóis sem trabalho nem dinheiro

Em leitura:

Jovens espanhóis sem trabalho nem dinheiro

Tamanho do texto Aa Aa

A crise está a ser madrasta para os espanhóis, em especial para os jovens.

A Espanha empobrece a um ritmo mais alto que os parceiros europeus e um quarto da população vive abaixo do limiar da pobreza, segundo um relatório publicado agora pelo Conselho Económico e Social (CES) espanhol.

Os jovens são os mais afetados pelo desemprego -cerca de metade da população com menos de 25 anos não tem trabalho. Um problema que não é exclusivo da Espanha: “Sabemos que há países onde há duas ou três gerações jovens fora do sistema educativo e onde esses jovens não conseguem entrar no mercado de trabalho”, diz Fernando Valdés, do CES.

A Itália e a Grécia têm igualmente grandes taxas de desemprego jovem, maiores ainda que a espanhola, se não se contar os estudantes ou formandos.

Estima-se que, só no ano passado, tenham emigrado meio milhão de jovens portugueses, espanhóis, gregos e italianos.

Se o desemprego entre os jovens é elevado, a pobreza também. Segundo a UNICEF, houve um forte aumento na pobreza infantil em regiões como a Catalunha, onde uma em cada quatro crianças vive numa família considerada pobre.