Última hora

Última hora

Road to Euro 2012: "Shakhtar United"

Em leitura:

Road to Euro 2012: "Shakhtar United"

Tamanho do texto Aa Aa

Donetsk e a equipa de futebol, o FC Shakhtar, são hoje os cabeças de cartaz do futebol ucraniano pós-independência a nível internacional.
Donetsk é uma das quatro cidades do ucranianas que acolhe jogos do Euro 2012.

A Donbass Arena, o estádio e a academia de treinos do Shakhtar estão equipados com tecnologia de ponta, a melhor da Europa de Leste. A academia do Shakhtar é, nesta altura, o quartel general da seleção francesa.

Yuriy Taktashev, responsável pelas instalações do FC Shakhtar Donetsk, explica que “o centro de estágio é usado pela equipa principal de futebol. A construção começou em 1998 e terminou em 1999. Nesse mesmo ano 5 campos de futebol foram construidos e a área total da academia é de 43 hectares.”

O Shakhtar Donetsk ganhou a Taça Uefa, a agora Liga Europa, em 2009 frente aos alemães do Werder Bremen e tornou-se a única equipa ucraniana a vencer uma competição europeia depois da independência.

Andrey Babeshko, responsável de comunicação da Donbass Arena, considera que “o sucesso atual do Shakhtar está ligado ao nome do presidente Rinat Akhmetov, que lidera o clube desde 1996. E há que concordar que o Shakhtar não é só um líder e o clube que fica em primeiro na Ucrânia mas já é bem conhecido na Europa.”

O futebol de Donetsk está profundamente enraizado na história de Donbass do “aço e do carvão”, até porque “Shakhtar” significa mineiro.

Andrey Babeshko lembra que “as primeiras equipas de futebol da região apareceram no início do século passado e ligadas aos trabalhadores ingleses que estavam na indústria metalúrgica da cidade. Nesta unidade, criada por John Hughes, os trabalhadores jogavam futebol nos tempos livres e criaram a primeira equipa. Em 1991 surgiu a Yuzovka Sports Society, clube formado sobretudo por ingleses.”

O responsável da comunicação afirma ainda que “a radio tinha sido instalada nas minas e quando o Shakhtar jogava, ganhava ou marcava um golo, a produção aumentava muito. Por isso os mineiros ouviam os relatos dos jogos do Shakhtar enquanto trabalhavam. Esta unidade da equipa, dos adeptos e da região é muito simbólica: é o que tem dado à equipa a oportunidade para ter o atual sucesso.”

Minas e mineiros, fábricas metalúrgicas e trabalhadores do aço são o núcleo dos adeptos do Shakhtar e da sociedade local. Grande parte das indústrias e a equipa pertencem ao mais rico dos milionários ucranianos, Rinat Ahmetov.

Igor Burakovski, diretor do Instituto de Estudos Económicos considera que “o investimento feito por Ahmetov no futebol pode ser explicado de vários pontos de vista: primeiro, a paixão pessoal pelo futebol; segundo, a necessidade de se comportar como um verdadeiro oligarca se deve comportar na Ucrânia; ponto número três, para ter uma imagem pública positiva, principalmente a nível local, onde a maioria das empresas que tem estão localizadas.”

Donetsk e a região de Donbas são hoje um próspero centro negócios na Europa de Leste. Mas também já eram um importante pólo industrial soviético na década de 1930. Alexey Stakhanov, uma das figuras lendárias da indústria mineira soviética, trabalhou aqui.
Agora o futebol e os negócios estão a oferecer às pessoas de Donbas um novo grupo de figuras lendárias.