Última hora

Última hora

Prisioneiros palestinianos em greve de fome

Em leitura:

Prisioneiros palestinianos em greve de fome

Tamanho do texto Aa Aa

Um especialista das Nações Unidas exigiu esta sexta-feira a Israel a libertação imediata de dois palestinianos detidos administrativamente e que se encontram em greve de fome prolongada.

Mahmoud El Sarsak de 25 anos não come há 81 dias. Foi preso em 2009 quando se deslocou à Cisjordânia para disputar um jogo pela seleção nacional palestiniana.

“Nunca mais o vimos. Só temos notícias dele através dos advogados. Ele era um apaixonado pelo desporto. Quando lhe dizíamos que íamos ao mercado ele respondia que tinha de ir jogar ou treinar. A sua vida era o campo de futebol”, disse a mãe de Mahmoud.

Esta sexta-feira em todo o território palestiniano manifestantes exigiram a libertação imediata do atleta da seleção nacional, temendo pela sua vida.

“Receamos que se houver uma situação de emergência, o que é possível durante durante uma greve de fome prolongada, especialmente se se tratar de uma insuficiência cardíaca, não poderão proporcionar-lhe assistência adequada”, afirmou Anat Litvin da organização israelita Médicos pelos Direitos Humanos.

Akram Rikhawi, o outro detido, está em greve de fome há 56 dias.

Ambos recusam alimentar-se apesar de outros prisioneiros palestinianos terem posto fim às suas greves de fome.