Última hora

Última hora

Rajoy defende as virtudes do plano de resgate

Em leitura:

Rajoy defende as virtudes do plano de resgate

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente do Governo espanhol quer convencer o país das virtudes do seu plano de salvação à banca.

Mariano Rajoy deu hoje uma conferência de imprensa para reafirmar que o trabalho do Executivo nos últimos cinco meses evitou “a intervenção no reino de Espanha” tendo, em vez disso, conseguido uma linha de crédito para o sistema financeiro.

“Se não tivéssemos feito nestes cinco meses o que fizemos, o que se teria colocado ontem era a intervenção no reino de Espanha”.

A Espanha pediu ontem formalmente ajuda à União Europeia para salvar a Banca.

Depois de uma reunião de emergência dos ministros das Finanças da Zona Euro ficou acordado que serão emprestados até 100 mil milhões de euros.

“O que se acordou ontem foi uma abertura de uma linha de crédito para o nosso sistema financeiro. Uma linha de crédito europeia, para recuperar a solvência das entidades financeiras e para conseguir crédito que são ncessários para melhorar o investimento e emprego.”

Cem mil milhões de euros de ajuda, trata-se de um dos maiores resgates da história.

O valor necessário para salvar a Banca espanhola ultrapassa o montante combinado dos três países sob ajuda e os 78 mil milhões que Portugal receberá da troika.

“Quem pressionou fui eu, porque queria uma linha de crédito, para resolver um problema interior objectivo, que toda a gente sabe que existe”.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) ficará encarregue de supervisionar o plano.

Madrid conseguiu que um resgate com condições mais suaves. Ao contrário de outros países, esta ajuda financeira, por estar restringida à Banca, não trará com ela medidas de austeridade.