Última hora

Última hora

Amnistia Internacional ataca Assad

Em leitura:

Amnistia Internacional ataca Assad

Tamanho do texto Aa Aa

A Amnistia Internacional acusa o regime sírio de crimes contra a humanidade.

É essa a conclusão do grupo de ativistas que visitou 23 cidades no país e constatou sérios ataques ao direito humanitário internacional, com contornos de crimes de guerra e crimes contra a humanidade.

Desde o início da revolta contra Bashar el-Assad, em março do ano passado, morreram mais de 14 mil pessoas.

Donatella Rovera é uma das ativistas que estiveram na Síria: “Onde quer que fosse, em cada cidade, vila ou aldeia, havia um padrão semelhante – soldados que iam em grande número fazer incursões curtas mas brutais, em que executavam jovens extrajudicialmente e lhes queimavam as casas. Os que eram detidos eram torturados na prisão.

Uma delegação das Nações Unidas chegou à de cidade de Hafeh e encontrou uma cidade-fantasma, deserta, com carros e casas queimadas por todo o lado e cadáveres nas ruas.

Os rebeldes, que controlavam Haffeh, deixaram a cidade na terça-feira de manhã, com medo de novos ataques por parte das forças do regime.