Última hora

Última hora

Madrid tranquila apesar da degradação da nota espanhola pela Moody's

Em leitura:

Madrid tranquila apesar da degradação da nota espanhola pela Moody's

Tamanho do texto Aa Aa

“Calma, no pasa nada” – é a mensagem saída da reunião de crise entre membros do governo espanhol, após a degradação da nota da dívida sobreana de Espanha pela Moody’s.

O ministro da Economia, Luís de Guindos, atribui as tensões dos mercados às eleições gregas: “Atualmente estamos a viver uma situação de volatilidade e de tensão. Esta é uma semana complicada, antes das eleições gregas, e, evidentemente, o governo está consciente disso. Mas o governo também quer, nesta circunstância, deixar uma mensagem de tranquilidade, para dizer que sabemos que temos o apoio de todos os nossos parceiros da união monetária. E essa é uma mensagem fundamental.”

Na quarta-feira, a Moody’s degradou a nota da Espanha. A agência de rating argumenta que o plano de resgate da banca espanhola, no valor de 100 mil milhões de euros, vai aumentar a dívida do país.

O povo espanhol, esse, não vê saídas. “Estamos a caminhar para o abismo e creio que isto não tem solução. Esperemos que tenha daqui a uns tempos… Mas eles fazem o que querem, o que lhes dá na gana, sem contar connosco. Somos apenas números estão aqui”, queixa-se uma mulher, ao passo que um homem afirma: “É lamentável, o poder que as agências têm – entre outras coisas, porque é verdade que a situação económica do país está má.”

A situação piorou com a crise do Bankia, que levou ao atual plano de resgate.

Para o movimento dos Indignados é preciso pôr fim à impunidade e, por isso, apresentaram queixa em Tribunal, por “falsificação de contas” e “informação fraudulenta” contra o conselho de administração e o ex-presidente do banco, Rodrigo Rato.