Última hora

Última hora

Moody's degrada notas de Espanha e Chipre

Em leitura:

Moody's degrada notas de Espanha e Chipre

Tamanho do texto Aa Aa

A agência Moody’s degradou a nota da dívida soberana da Espanha de três níveis: de A3 para Baa3. A agência de ‘rating’ mantém a nota sob observação, com perspetiva negativa, o que deixa prever uma futura redução, dentro de três meses.

Antes mesmo do anúncio, já o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, pedia mais Europa para fazer face à crise: “Penso que a Europa deve ter uma maior integração fiscal e bancária. Aposto na resolução dos problemas de financiamento e de liquidez que, neste momento, estão a estrangular muitas economias, e aposto no debate de tudo isto e numa tomada de decisões rápidas.”

Se a Espanha foi degrada por causa do novo plano de resgate da banca espanhola, que vai aumentar a dívida nacional, Chipre sofreu também uma degradação, devido a uma posição orçamental tensa e, sobretudo, ao risco de a vizinha Grécia sair do euro.

Numa tentativa de encontrar soluções para uma crise transversal a toda a Europa, em Berlim, o primeiro-ministro italiano, Mario Monti, voltou à carga com uma taxa sobre as transações financeiras: “Acredito que, idealmente, e tendo em conta a elevada mobilidade, com as transações financeiras a poderem ser feitas em qualquer lado, esta taxa deveria ser global. Mas todos sabem o quão irrealista é conseguir um acordo global sobre fiscalidade. Assim sendo, devíamos alcançar um acordo na Europeia Europeia, dentro da configuração geográfica mais lata possível.”

Desmentindo rumores sobre um eventual contágio a Roma da crise europeia, Mário Monti afirmou que a Itália não precisa de assistência externa para responder à crise da sua dívida pública.