Fechar
Login
Por favor, introduza os seus dados de login

Skip to main content

|

Barack Obama e Vladimir Putin apelaram ao fim da violência na Síria e defenderam que o povo sírio tem o direito a decidir democraticamente o futuro que quer para o país.
Os presidentes norte-americano e russo estão na cimeira do G20, no México e defenderam o fim do banho de sangue.
A Rússia, a par da China, têm impedindo ações mais duras do Conselho de Segurança da ONU em relação ao regime do presidente Bashar al Assad, mas agora declararam que existem pontos de vista comuns.

Obama disse mesmo “concordámos que é preciso acabar com a violência, que é necessário avançar com um processo político para evitar a guerra cívil e mais mortes como tem acontecido nas últimas semanas.”

Estas declarações surgem poucas horas depois das forças governamentais sírias terem voltado a bombardear a cidade de Homs e terem retomado as operações na província de Damasco. Uma ONG síria garante que pelo menos 40 pessoas morreram no país.
Entretanto a missão da ONU na Síria já começou a abandonar o país. As operações dos observadores foram suspensas por falta de segurança.

Copyright © 2014 euronews

Mais informação sobre
|