Última hora

Última hora

Europa sob pressão do G20

Em leitura:

Europa sob pressão do G20

Tamanho do texto Aa Aa

A crise da dívida na zona euro voltou a dominar a cimeira do G20.

Inquietos, os 20 líderes dos países mais ricos e emergentes pressionam a Europa e comprometem-se a tomar todas as medidas necessárias para reforçar o crescimento mundial e restaurar a confiança.

Em nome da União Europeia, Durão Barroso pediu:
“Espero que os líderes do G20 apoiem e expressem confiança nas medidas já tomadas pela Europa e naquelas que estamos prontos a tomar brevemente. Os desafios não são apenas europeus, são globais”.

Porque os desafios são globais, muitos não hesitam em pôr em causa a forma como a Europa está a lidar com a crise. O ministro brasileiro das Finanças, Guido Mantega, deu voz à opinião dos países emergentes:

“Os mercados e as populações perderam a confiança nas soluções que estão a ser implementadas pelos países da zona do euro. Isso significa que as medidas que estão a ser tomadas não são suficientes para enfrentar os problemas”.

O grupo dos chamados BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – considera que compete aos europeus, em primeiro lugar, resolver os seus problemas e impõe condições antes de contribuir para o reforço do Fundo Monetário Internacional (FMI).

O FMI, que está na primeira linha da defesa contra o contágio da crise da zona euro e espera um reforço de 430 mil milhões de dólares do G20, deverá pôr em funcionamento a reforma acordada em 2010 que aumenta o direito de decisão destes países no seu seio.