Última hora

Última hora

Presidente da Birmânia promete reformas económicas

Em leitura:

Presidente da Birmânia promete reformas económicas

Tamanho do texto Aa Aa

Uma segunda vaga de reformas, desta vez, económicas, é o que promete o presidente da Birmânia.

Um ano depois de ter tomado posse, em substituição da junta militar que esteve 15 anos no poder, o governo vai agora instaurar um salário mínimo nacional e privatizar setores como as telecomunicações ou a energia.

“Durante o primeiro ano de poder, o governo nacional este a trabalhar ativamente nas reformas políticas e na reconciliação nacional. A partir deste ano, trabalhamos numa segunda vaga de reformas, centrada no desenvolvimento do país e do bem-estar do povo”, explicou o presidente Thein Sein.

A primeira vaga de reformas conduziu a uma maior liberdade e levou a União Europeia e os Estados Unidos a porem fim às sanções. Mas nem todos os problemas foram resolvidos. A prová-lo, uma manifestação de refugiados birmaneses nas Filipinas. Alertam para a crise humanitária na província de Kachin, onde os confrontos entre budistas e muçulmanos têm provocado dezenas de mortos e milhares de deslocados.