Última hora

Última hora

Sétima edição do Prémio Inventor Europeu

Em leitura:

Sétima edição do Prémio Inventor Europeu

Tamanho do texto Aa Aa

O Prémio Inventor Europeu 2012 foi atribuído a 14 de junho em Copenhaga, na Dinamarca. A sétima edição do evento, organizado pelo Instituto Europeu de Patentes e pela Comissão Europeia, distinguiu os autores das melhores invenções das últimas décadas.

O professor Josef Bille, da Universidade de Heidelberga, na Alemanha, foi homenageado pelo conjunto de sua obra, na categoria “Lifetime achievement”. Josef Bille é conhecido como o pai da cirurgia laser aos olhos e reconhece o contributo da sua invenção. “As vantagens são, sobretudo, para as pessoas com níveis mais elevados de deficiências óticas, como uma elevada miopia, elevada hipermetropia, altos níveis de astigmatismo, que não podem ser corrigidos através de meios convencionais, como os óculos ou as lentes de contacto.”

Na categoria dos inventores não europeus, foi distinguida a equipa liderada plo australiano John O’ Sullivan pela invenção do Wi-Fi, a tecnologia da rede sem fios. O’ Sullivan destaca a omnipresença do Wi-Fi: “Encontramos a tecnologia em cerca de 3 mil milhões de dispositivos. Está em todo o lado, desde os telemóveis, impressoras, computadores, mas, também, em dispositivos em que não pensámos ao início.”

O dinamarquês Jan Tøpholm destacou-se na categoria “indústria” pela criação de gráficos computorizados para criar aparelhos auditivos.

O alemão Manfred Stefener foi distinguido na categoria “Pequenas e Médias Empresas” pelo desenvolvimento das primeiras células de combustível para dispositivos portáteis.

O francês Gilles Gosselin foi galardoado com o prémio “Investigação” pelo desenvolvimento de uma molécula para tratar a hepatite B.

Os prémios são “uma forma de reconhecimento público” para os inventores, admite o presidente do Instituto Europeu de Patentes, Benoit Battistelli. “Temos testemunhos concretos de vencedores dos anos precedentes que disseram que isso tinha transformado a sua vida porque foram reconhecidos ao nível nacional e regional, o que os ajudou a encontrar parcerias e a desenvolver as suas atividades”, conclui.