Última hora

Última hora

Egito: Milhares na praça Tahrir em protesto contra os militares

Em leitura:

Egito: Milhares na praça Tahrir em protesto contra os militares

Tamanho do texto Aa Aa

No Egito, como prometido, a Irmandade Muçulmana reuniu milhares de apoiantes na praça Tahrir, no Cairo, para protestar contra a decisão do Conselho Militar de se atribuir novos poderes e particularmente o poder legislativo, na sequência da dissolução do parlamento.

“Estamos aqui para perguntar ao Conselho Militar porque é que de cada vez que damos um passo em frente eles nos fazem recuar dez passos. O parlamento foi eleito por 30 milhões de egípcios e nem uma resolução de um tribunal designado por Mubarak, nem um conselho militar o podem dissolver”, defende um manifestante.

Uma jovem explica: “Manifestamos por quatro razões: contra o poder militar, contra a dissolução do parlamento e porque não se pode eleger um presidente sem prerrogativas e um comité constitucional que já foi constituído não há razão para que os militares o queiram reconstituir de novo”.

Para a Irmandade Muçulmana e a juventude cariota, as decisões tomadas pelos militares revelam a intenção de perpetuar o poder e confiscar aos egípcios as primeiras conquistas da revolução.

O exército promete passar o poder ao presidente eleito, cujo nome ainda não é oficialmente conhecido, até ao final do mês, mas reivindica o poder de legislar até à eleição de um novo parlamento.

No Cairo, o nosso correspondente Riad Mouasses:

“Os resultados das eleições estão próximas, pouco importa quem ganha, elas confirmam que o povo egípcio está dividido, um ano e meio após a revolução, mas a praça Tahrir, mantém-se o lugar por excelência dos protestos que vão perdendo vigor”.